notícias

Sentindo-se triste e vazia? Você pode estar 'languishing'

apatia2_noticia02_140621.jpg

Como você está se sentindo? Sem alegria? De saco cheio? Com problemas para se concentrar? Bem, você não está sozinho.

 

Depois de meses de monotonia e tédio de lockdown, não é surpreendente que muitos de nós nos sintamos sem rumo e um pouco vazios. Na verdade, em um artigo recente para o The New York Times, o psicólogo Adam Grant descobriu o que é esse sentimento relacionado à pandemia: languishing (definhar, em português).

Cunhado pela primeira vez pelo sociólogo Corey Keyes, em 2002, languishing é o estado de vazio e estagnação que constitui “uma vida de desespero silencioso”. Muitas vezes é definido como o inverso do flourishing (florescimento, em português), que se refere a níveis mais elevados de bem-estar, a experiência de emoções positivas, esperança para o futuro e a sensação de que você está crescendo como pessoa.

Languishing é como filho do meio negligenciado da saúde mental. É o vazio entre a depressão e o florescimento — a ausência de bem-estar. Você não tem sintomas de doença mental, mas também não é a imagem da boa saúde mental. Você não está funcionando com capacidade total.

Com o futuro ainda muito incerto, a ideia de florescer parece um tanto distante, mas há pelo menos maneiras de lidar com o enfraquecimento. O neurocientista cognitivo Dr. Christian Jarrett explica à Vogue (fonte desta matéria) como lidar com esse mal-estar.

Como você definiria 'languishing'?
“Esse termo é parcialmente definido pela falta de emoção positiva — como alegria, orgulho e esperança. Sabemos que as emoções positivas são vitais para a nossa saúde mental e física, por isso, se definhamos a longo prazo, corremos um risco maior de futuros problemas de saúde mental e física, como depressão e problemas de saúde relacionados com o stress. Isso pode nos tornar menos inclinados a socializar e experimentar novas atividades, que irão agravar ainda mais o problema.”

Quem normalmente é afetado pelo 'languishing'?
“Pode afetar qualquer pessoa, mas se você tem se sentido cronicamente isolado socialmente, experimentou luto ou perdeu o emprego e seus planos foram continuamente atingidos, é mais provável que você esteja definhando (ou 'languishing'). É importante para nosso bem-estar mental sentir um certo grau de controle sobre nossas vidas. Também precisamos de conexão humana. Sem essa sensação de controle e contato amoroso, você corre o risco de definhar, mesmo que tenha evitado ficar deprimido.”

Por que 'languishing' é uma experiência emocional particularmente comum no momento?
“O termo captura um sentimento comum sobre o impacto da pandemia — podemos saber que não estamos deprimidos, mas também temos a sensação de que não estamos aproveitando a vida e estamos lutando para nos sentir otimista quanto ao futuro. É um termo legal para descrever o meio-termo entre ter um problema de saúde mental diagnosticável e estar mentalmente bem e prosperar.”

Se estamos preocupados que nós mesmos ou entes queridos possamos estar 'languishing', que tipo de características devemos procurar?
“Se você percebeu que já faz um tempo que não ri ou experimenta alegria, está se afastando do contato social e está achando difícil fazer planos para o futuro, você ou um ente querido pode estar 'languishing'."

“Pergunte a seus amigos ou parentes se você parece ‘ser você mesmo’ ultimamente. Se você gradualmente caiu em um estado de definhamento, pode não notar, mas outros podem. Cuide de seus amigos e familiares também, como eles estão?”

Se estamos 'languishing', como podemos ajudar a nós mesmos?
“Faça um esforço para se reconectar com a família e amigos tanto quanto possível [e as restrições do Covid-19 permitem]. Redescubra novas maneiras de sentir alegria. Crie rotinas em seu estilo de vida para restabelecer a sensação de controle. Faça planos para o futuro, mesmo que não tenha vontade — e crie contingências, ou um plano B, se necessário.

“Lembre-se de seus valores e procure quaisquer vantagens para o ‘novo normal’. Seja criativo — pode haver maneiras de você viver uma vida orientada por valores, mesmo com as provações e restrições em curso da pandemia. Seja gentil consigo mesmo. E ajude os outros, se puder — uma das experiências mais gratificantes e significativas da vida é estar disponível para outras pessoas quando elas precisam.”

Fonte: Vogue - Globo - Publicação em 25/05/21